3 de março de 2011

Um poema de Leonardo Campos



No silêncio do verso:
o reverso;
um retorno ao ser.

No silêncio do verso
o semitom;
o inconcluso da existência.

No silêncio do verso
a utopia
a fantasia em absurdos tons.

No silêncio do verso
o espaço
toda a inspiração em largos traços.

Leonardo Campos 

2 comentários:

Danni disse...

Que bela poesia ein...
Muito bom
Continue

Ana disse...

Que maravilha!...
Parabéns!